TEATRO DE NARRADORES



janeiro e fevereiro 2014

A Boa Loukura (Performance)

A UAP também é parte integrante e conecta-se diretamente a um terreiro de culto aos orixás– a Korrente da Alegria de Aruanda, cujo babalorixá é Kabila Aruanda. A Korrente exerce grande influência no trabalho do Grupo e na sua filosofia, o que nos possibilitou esse diálogo através da residência, estabelecendo novas formas de vínculo entre o sagrado o e o Teatro de Narradores.

“Abrir os trabalhos” deste 2014 em Aruanda nos devolve mais a nós mesmos em nossas individualidades perante o coletivo – altamente exercitado num grupo de teatro e num ilê. Para além da importância espiritual dessa imersão, motor de trabalho criativo, o diálogo com os artistas da UAP e moradores da região nos possibilitou compreender melhor alguns procedimentos de criação abordados pelo grupo em seus últimos trabalhos.

Focamos na coleta de material através de conversas/entrevistas com esses moradores, das quais depoimentos foram elaborados e utilizados como base do jogo de cena. O jogo já é conhecido do grupo desde o seu Cidade Coro, em que atores alternam entre depoimentos coletados e depoimentos próprios a respeito de um tema e/ou narrativa. Rever esse procedimento, que parte de um programa de ação, nos repõe à nossa linha formal de pesquisa – o trabalho de campo e a reelaboração do material coletado para a cena. O resultado desse processo foi apresentado no último dia de residência aos artistas da UAP e alguns dos depoentes, acompanhado de conversa após a finalização.

Foram três dias de trabalho – sobre si – nos questionando, nos colocando em situação, argumentando e – por quê não? – rezando. Tratou-se de uma confirmação do “trabalho”em todas as suas esferas.

José Fernando Azevedo, Teth Maiello, Vitor Placca, Renan Trindade, Klarah Lobato, Ana Elisa Mello.